O fim da Metaphorica, e o novo horizonte que se aproxima

Quando um dia eu e Robb cogitamos o fim da banda, não foi fácil pra nenhum de nós dois conseguir aceitar de início. Afinal, foram seis anos dos quais coloquei a banda em primeiro plano, e me preocupei em mantê-la firme mesmo com todos os percalços que sempre enfrentamos no caminho. Falei pra ele que deveríamos pensar muito antes de tomar esta decisão, porque muita coisa ia mudar. Pensamos por dois meses antes de decidir qual deveria ser o caminho. E por fim, decidimos pelo fim da banda.

Depois de quase um mês do anúncio no nosso blog, posso firmemente dizer que tomamos a decisão correta. Tivemos uma história muito bonita. Um história de perseverança, e graças a Deus de muitas vitórias. Quando começamos praticamente ninguém acreditava na gente, e discordavam de nossos pontos de vista, os quais lutei por mantê-los intactos por todos esses anos. Enfim, conquistamos após algum tempo o tal reconhecimento que queríamos. Uma banda como a nossa, com todo o conceito de ir contra a "maré do mercado", normalmente não teria mais de dois anos de vida. Mas a nossa teve. A Metaphorica vôou longe, pra fora de sua cidade, participou de festivais conceituados, de jornal, de rádio, de TV, e o mais importante: criamos, criamos e criamos.

Por toda a minha vida sentia que dentro de mim existia uma semente que queria crescer e não tinha espaço pra isso. A Metaphorica foi a força que faltava pra dar sentido à minha vida, e fazer descobrir o que realmente me fazia feliz. Amadureci, me tornei adulto, e me vi mudar de menino para homem, diante das responsabilidades que envolve liderar uma banda, seja para sorrir durante as entrevistas ou para tentar levar todo mundo a um mesmo objetivo quando o desânimo batia. Sorrio de cabeça erguida quando percebo que conseguimos tudo isso. Graças ao apoio dos meus GRANDE AMIGOS de banda, pude desenvolver o lado "sensível" que antes eu repudiava. Um menino pode sim escrever poesia e ser respeitado. Até o lado mais longe em que me expus, sabia exatamente aonde estava indo.

Até o final do ano desejo terminar o meu CD solo. Acho que esse é um caminho natural depois de todo esse tempo. Tenho certeza que a escola que foi a Metaphorica pra mim, vai ficar pra sempre naquele pedacinho do meu coração em que sempre esteve. A banda que me fez ter amigos, que me deu motivos pra sorrir, e pra me emocionar. A banda que me fez perceber o quanto existem pessoas que me apoiam e que gostam do que eu tenho a oferecer a elas. Assim, termino uma fase muito importante da minha vida para ingressar em outra. Tudo mudou. Agora moro sozinho, faço minha tão sonhada pós graduação. Tenho alguma experiência naquilo que sempre me deu forças pra enfrentar essa vida real tão sem cor. A música é hoje como sangue que corre em minhas veias e eu sei que esse foi só o começo.